Sobre MIM

Minha despedida do Caminho de Santiago. Após uma lesão tendinosa no pé esquerdo, fui obrigada a voltar!

Sou movimento, alegria, experimentação, curiosidade, ideação, entrega, EVOLUÇÃO.

Sou o resultado daquilo que agi para conquistar. Sou peregrina de Caminhos e vida que eu tenho, por ter feito algo.

Mora em mim o sentimento de ser transformada todos os dias pela ação continuada e constante. Comecei todas as minhas transformações pelo silêncio, abrindo mão dos excessos que haviam em minha vida. Meu primeiro momento de desapego aconteceu ainda no hospital, quando estava internada para minha primeira pulsoterapia (procedimento onde se toma o corticoide intravenoso). Lembro até hoje de ter ido para o hospital com um caderninho e, na primeira noite de ressaca do corticoide (quando tomava o corticoide, ficava excitada e não conseguia dormir), comecei a desapegar na mente de uma serie de objetos que não faziam mais sentido na minha vida! O silêncio da noite foi revelando o verdadeiro eu, fui começando a conhecer a mim mesma. Deste dia em diante, não deixei mais de colocar coisas para fora. Daqui nasceu o meu essencialismo!

Às vezes tenho a impressão de que sou exatamente o que as pessoas precisam que eu seja para elas. Para mim mesma, sou superação, determinação e resiliência sobre o que nem eu imaginava que fosse.

Foto da minha ultima internação para pulsoterapia com corticoide, em Janeiro de 2017.

A guerreira que mora em mim entra nas batalhas que deseja. Tem inteligência de só aceitar lutas que são condizentes com a própria fé, o próprio propósito de vida! Já entrei em brigas que nunca foram compatíveis comigo, só para dizer que estava nelas. Hoje, não apenas corro das brigas, como busco a pacificação do meu entorno para ouvir e vivenciar a minha própria essência. Antes, a serenidade era para não ter surtos da Esclerose, mas hoje é para mim mesma.

Sou portadora da Esclerose Múltipla há 10 anos. Ela é uma doença auto-imune, onde o organismo ataca ele próprio. No meu caso, o corpo destrói a bainha de mielina, uma capa de gordura que protege o axônio, parte responsável pela condução dos impulsos nervosos que comandam todo o organismo. Depois de descobrir a doença passei a viver, a me conhecer melhor, a buscar o que eu sou na essência.

Seis anos depois da descoberta e muitas internações, eu parti para o Caminho da Fé (2014), uma caminhada/peregrinação de 320 km, feita em 13 dias, carregando a própria bagagem de 8 a 9 kg com roupas, equipamentos, água e alimento. No ano seguinte (2015), mais cerca de 270 km de caminhada, pelo Caminho do Tejo, rumo a Santiago de Compostela.

Para mim, aquele momento de peregrinação em 2014 representava algo extremamente singelo. Hoje, passados mais de 4 anos, vejo que eu me aventurava a experimentar caminhos de fé, resistência, resiliência, consistência e um propósito muito bem calçado! Hoje vejo que as dores do caminho, as físicas, as espirituais e as existenciais, nada mais eram que parte dele e parte do meu processo de crescimento. Foram estas dores que me construíram forte para suportar os desafios que surgiriam mais adiante.

Nos últimos dois anos, depois de descobrir o potencial que um coaching tem na vida, caiu-me a ficha de que tudo o que ocorrera em minha vida não teria um porque e sim um PRA QUE! Hoje não me pergunto mais porque algo acontece comigo, mas sempre o “pra que”, qual o objetivo daquele suposto sofrimento, qual o aprendizado que eu preciso tirar daquela situação? É assim que venho construindo os meus propósitos, o meu novo eu, as razões para as experiências que passo sem ter escolhido-as.

Quais os seus propósitos de vida, de trabalho, financeiros, de amizade? O que tem lhe feito sair do lugar? Qual a grande alavanca que o faz se mover? Eu já sei de algumas coisas que me movem, mas, certamente, ainda existe um universo a descobrir! Não importa que eu seja portadora da Esclerose Múltipla ou de qualquer outra patologia, sempre existirá algo que será mais forte que isto e que fará com que eu NÃO DESISTA NUNCA!

As minhas realizações só foram possíveis por ter me aberto ao autoconhecimento, mesmo estando com medo do que poderia encontrar! Este não foi um processo fácil, mas certamente foi delicioso visualizar e vivenciar cada conquista que tive! Encontrar aquilo que lhe fará mover-se em busca dos teus sonhos requer uma bela dose de coragem para seguir no autoconhecimento, na experimentação, na busca do novo. O testar faz parte deste universo. Não existindo algo que você tenha certeza que deseja, teste e observe como você se sente fazendo ou experimentando isto. Muitas foram as vezes que fui surpreendida positivamente por experimentar e isto me trouxe emoções boas que carrego até hoje.

Mesmo com o pé quebrado um mês antes de partir para o Caminho de Santiago, os treinos continuaram intensos no pilates.

Não existe experiência negativa na vida. A experiência é sempre única e o que a torna negativa é a forma como ela é observada. Quebrei o pé pouco mais de um mês antes do embarque para realizar o Caminho de Santiago. Ao invés de sentar e me lamentar pela quebra, procurei observar o que poderia fazer mesmo com o pé quebrado para continuar com o meu objetivo de fazer o Caminho. Aproveitei o pilates para intensificar meu preparo físico!

Não podemos mudar os fatos, mas podemos mudar a forma como vemos os fatos. – Paty Pirajá

Afinal, se tudo o que se vê se cria, ao mudar como vemos os fatos, mudamos também aquilo que nossa mente vai criando sobre o mundo!

 

PS: As páginas deste site estarão sempre em mudança.

 
Todos direitos reservado "Paty Pirajá"
Desenvolvido e mantido por Movimento Coaching & Theme by Movimento Coaching
← Passo Anterior

Obrigado por nos contactar. Nós entraremos em contato com você assim que pudermos.

Deixe seunome, e-mail e sua pergunta.

Promovido por Movimento Coaching

Esta é a área do controle deslizante inferior. Você pode editar este texto e também inserir qualquer elemento aqui. Este é um bom lugar se você quiser colocar um formulário de opt-in ou uma contagem regressiva de escassez.